[ editar artigo]

Como o mindful eating pode ajudar no seu emagrecimento?

Como o mindful eating pode ajudar no seu emagrecimento?

O mindful eating é uma técnica cada vez mais trabalhada nos consultórios de nutrição para auxiliar as pessoas a comerem de forma mais consciente e ter uma relação melhor com a comida, especialmente nesses tempos de terrorismo nutricional que vivemos. Vamos entender um pouco melhor como ele pode ajudar no emagrecimento?

Mindful eating emagrece?

Antes de mais nada, é importante esclarecer: essa técnica não é um milagre do emagrecimento. Mindful eating não emagrece, o que emagrece de forma saudável é uma alimentação saudável aliada a exercício físico (e isso não vai mudar tão cedo). Mindful eating é uma estratégia que pode ajudar no emagrecimento, ok?

O que é mindful eating?

Como já falamos sobre isso aqui no Clube antes, mindful eating é a prática de comer consciente, ou seja, comer com atenção plena. O comer consciente é a capacidade de aproveitar os alimentos utilizando todos os sentidos sem julgamento, ou seja, saber ouvir os sinais do nosso corpo, principalmente de fome e saciedade.

E qual a relação com emagrecimento?

Bem, talvez você já tenha tentado vários nutricionistas diferentes, várias estratégias diferentes. Talvez ame comer salada e nem é muito fã de refrigerante, mas ainda assim não consegue emagrecer. Isso pode estar acontecendo por inúmeros motivos e um deles é o seguinte: você não presta atenção no que come e no quanto come. Você acha que come saudável, mas se a sua vida fosse um reality show e você pudesse assistir, veria que a realidade é diferente do que sua cabeça registra.

Quando comemos prestando atenção no momento presente, que é o que o mindful eating propõe, nós estamos fazendo várias ações que ajudam no emagrecimento, olha só:

Saboreamos melhor o alimento

Isso significa que você vai sentir mais prazer quando comer e, consequentemente, vai precisar de uma menor porção para matar a vontade de comer aquilo que está esperando faz tempo para devorar. Imagine que você está há dias com vontade de pastel. Chega sábado e você finalmente vai come-lo, não para matar a fome e sim para matar a vontade. E vontade se mata saboreando com prazer, comendo devagar e apreciando o momento. Se você comer o pastel enquanto atualiza as redes sociais, a atenção vai pro celular e ao chegar a última mordida vai querer outro pastel, porque a vontade não foi saciada. Logo, o que era pra ser uma refeição prazerosa em pequena quantidade se torna algo que, se for frequente, pode se tornar prejudicial ao seu emagrecimento, entende?

Comemos mais devagar ao buscar sentir mais os sabores dos alimentos, comemos de forma mais lenta. Mastigar devagar é muito importante para que o estômago avise ao cérebro o momento em que estamos saciados. Logo, comemos menos em todas as refeições do dia. Porque até as refeições mais saudáveis e balanceadas podem “engordar” se a quantidade for mais do que você precisa.

Percebemos nossas vontades

Quantas vezes você está com vontade de comer algo quentinho, como bolo e café no lanche da tarde, e acaba comendo iogurte porque “está na dieta” ou “é mais saudável/ menos calórico”? E o iogurte acaba sendo uma experiência desagradável naquele dia porque, sei lá, está frio lá fora e não era bem isso que você queria. A chance de comer o iogurte e acabar buscando o bolo com café depois é grande. E nesse caso você comeu bem mais do que precisava. Se tivesse prestado atenção no que o seu corpo pediu poderia ter buscado uma alternativa “quentinha” e saudável. Um bolo integral ou um mingau de aveia, talvez? Ou uma banana aquecida no micro-ondas.

Percebemos os nossos sinais de fome e saciedade

Quando crianças, sabemos exatamente quando estamos com fome e quando é hora de parar. À medida que crescemos acabamos, infelizmente, percebendo essa sensibilidade e muitas vezes passamos do limite, o que causa sintomas como azia, refluxo, estufamento abdominal, além de favorecer ganho de peso. Quando comemos prestando atenção no nosso corpo nós conseguimos entender facilmente se estamos saciados e qual a hora de parar.

E como eu faço para praticar o mindful eating e favorecer meu emagrecimento?

#1 Faça da refeição um momento importante!

Nada de comer em pé ou no sofá. Arrume a mesa, pegue uma louça bonita (aquela mesma que está guardada para uma “ocasião especial” que nunca chega) e sente-se confortavelmente.

#2 Mastigue devagar 

É normal se dispersar e voltar a comer rápido, mas o importante é sempre retornar a atenção à mastigação, mesmo que você se distraia 15 vezes. Quanto mais praticar, mais fácil vai ser. Largue os talheres entre uma garfada e outra, isso ajuda a comer mais devagar.

#3 Faça uma pausa quando chegar na metade do prato

Largue os talheres, limpe a boca com um guardanapo, beba um gole de água... mas pare e avalie como se sente. Saciado? Ainda com fome? E só então decida se vai continuar a comer ou se precisa comer tudo que ainda está no prato. Desperdiçar comida é ruim, mas comer só para não deixar no prato também é. Com o tempo, você aprende quanto se servir e desperdiça menos!

#4 Questione a si mesmo!

Especialmente antes de comer algo que não é tão saudável, se pergunte: eu estou com vontade de comer isso agora? Vai valer a pena? Talvez você descubra que pode deixar para um momento que estará com mais vontade e comer aquilo vai parecer bem mais gostoso. O mesmo vale para refeições feitas só porque “está na hora”. Tem dias que não dá fome à tarde, então não coma. Isso é perceber como se sente. Coma quando a fome aparecer. Seu corpo é inteligente o suficiente para te avisar quando está precisando de comida.

“Mas nutri, não vou conseguir fazer tudo isso em todas as refeições! Almoço com o pessoal do trabalho, janto com a família... impossível ficar em silêncio e me conectar com o momento!”

Calma, você não precisa fazer isso toda vez, mas em 1 refeição do dia tenho certeza que consegue! E os passos 3 e 4 podem ser feitos sempre! É uma questão de hábito. Pratique e com certeza você terá mais controle sobre seus sentimentos em relação à comida e entenderá que é possível comer o que gosta com prazer, mas em quantidades moderadas e eventualmente.

Depois volta aqui pra me contar se essas reflexões te ajudaram a comer de forma mais consciente!

Clube da Energié
Natali Carol Fritzen
Natali Carol Fritzen Seguir

Nutricionista e coordenadora técnica da Energié Nutrição. Luto por um mundo com mais comida de verdade e com menos modismos e restrições desnecessárias. Entendo que uma boa alimentação é aquela que faz bem para o corpo e para a alma!

Ler matéria completa
Indicados para você