[ editar artigo]

Por que você não deveria fazer dieta agora (e nem nunca)

Por que você não deveria fazer dieta agora (e nem nunca)

Em primeiro lugar, fazer dieta não é legal. Dieta remete a algo que tem um fim. Você acha que ter uma alimentação saudável é algo que deveria ter fim? Não, né? É para a vida toda!

Quando uso o termo dieta nesse texto estou falando de seguir algo restritivo, radical e que não tem nada a ver com o que é uma alimentação equilibrada. Se dietas não devem ser feitas em momento algum, isso vale mais ainda agora que estamos vivendo um período que nenhum de nós viveu antes: uma pandemia.

Vamos aos motivos de porque não fazer dieta agora:

#1 Privação gera compulsão

Dietas restritivas te privam dos alimentos que mais gosta e te dão apenas algumas possibilidades de refeições. Isso gera estresse, mau humor e te faz pensar sem parar em comida. E, com o passar dos dias, você pode se ver numa situação de compulsão alimentar, onde decide jogar tudo para o alto e comer sim aquele chocolate que era “proibido”. E aí acontece o pior: você come demais. A barra inteira, duas barras. E em seguida vem a culpa e o sofrimento.

Numa situação de pandemia, será mesmo que, além de toda a ansiedade e preocupação, é justo termos que lidar com culpa por ter comido algo “proibido”?

#2 Relação com a comida

Sim, todos temos uma relação com os alimentos. Pode ser boa ou ruim. A boa relação é aquela que te faz olhar o alimento e ver como ele realmente é: comida que nutre o corpo e/ou a alma. Já a relação ruim é aquela que faz olhar para um alimento e ver um emagrecedor ou um vilão que vai fazer engordar. É uma visão distorcida que não é saudável pra ninguém.

Alimentos são alimentos. Alguns com boa qualidade, outros nem tanto. Será que uma alimentação perfeita é aquela que nunca tem uma batata frita? Ou aquela que de vez em quando tem uma batata frita?

Uma má relação com a comida nos leva a sentimentos de culpa e pressão pela escolha de alimentos “corretos” o tempo todo. E sofrimento mental é o que menos queremos nesse momento com tanta gente já tendo crises de ansiedade por conta das incertezas que esse período de isolamento trouxe.

#3 Imunidade

Dietas restritivas são um baque para o organismo. Do dia para a noite o corpo começa a receber menos nutrientes e não entende o que está acontecendo. Às vezes a restrição é tão grande que faltam nutrientes para algumas funções do corpo e os avisos começam a surgir: anemia, fraqueza, tontura... Outro efeito das dietas restritivas é o aumento do cortisol, o hormônio do estresse. Quando ele está muito alto, adivinha o que diminui? A imunidade!

E quer bem mais precioso do que imunidade boa nesse momento em que um vírus está colocando o planeta de cabeça pra baixo? Não vale arriscar sua saúde agora (nem nunca!), não é?

#4 Alimento é remédio para a alma

Até para quem está saindo para trabalhar, passar mais tempo dentro de casa é uma realidade. O tempo da academia, da aula de inglês, do café com as amigas e das viagens de final de semana agora precisa ser ocupado de outra forma. Claro que existem muitas atividades que podem ser feitas dentro de casa! E uma delas é cozinhar! Todo mundo precisa comer e ninguém vive de delivery ou comida congelada em todas as refeições (assim espero!), mas cozinhar vai além disso: é uma atividade prazerosa, de conexão com o alimento, que exige concentração e criatividade. E tenho visto muita gente fazendo receitas que nunca fez antes nessa quarentena: pães, bolos, tortas. Isso é lindo, não acha?

O que quero dizer com isso é que o sentimento de culpa por comer um bolo não deveria nem existir quando podemos ter cheiro de bolo pela casa depois de ter passado meia hora realizando uma atividade prazerosa na cozinha. E o conforto que comer um pedaço de bolo no café da tarde pode trazer? Temos que dar mais valor ao que nos faz feliz nesse momento em que saúde mental é tão importante.

Além disso, é muito mais saudável incentivar que as pessoas façam receitas em casa do que comprem versões industrializadas, né?

Mas então não posso querer emagrecer?

Claro que pode! A questão aqui é que emagrecer fazendo loucuras com a alimentação não faz bem nem pra saúde física nem pra saúde mental. Estar longe dos amigos, da família, às vezes numa situação de instabilidade no emprego e em meio a uma crise de saúde pública faz com que a gente enxergue que existem coisas muito mais importantes do que o peso que a balança mostra. Como saúde! E estar magro não significa estar saudável.

Aproveite esse momento para perder peso se estiver motivado para isso. Não vejo problema algum! Use esse novo jeito de viver a seu favor: menos idas a restaurantes, menos balas na mesa do escritório e não ter doces e salgadinhos de fácil acesso pode te ajudar muito a comer melhor. Compre alimentos mais saudáveis, cozinhe mais e baseie sua alimentação em comida de verdade: frutas, verduras, legumes, cereais integrais, carnes, ovos, leguminosas.

Além disso, aprenda a avaliar os sinais do seu corpo: é fome? É vontade de comer? Coma mais devagar e veja se precisa mesmo consumir toda aquela quantidade que costumava servir.

Mas se não der certo, não recorra a dietas restritivas e nem se sinta culpado por isso. Acima de tudo, cuide do seu bem estar nesse período. Combinado?

Clube da Energié
Natali Carol Fritzen
Natali Carol Fritzen Seguir

Nutricionista e coordenadora técnica da Energié Nutrição. Luto por um mundo com mais comida de verdade e com menos modismos e restrições desnecessárias. Entendo que uma boa alimentação é aquela que faz bem para o corpo e para a alma!

Ler matéria completa
Indicados para você